Sinais de envelhecimento: quando recorrer a um tratamento

Envelhecer é um fenômeno natural e inevitável. Biologicamente, trata-se de um processo no qual a renovação celular se dá de maneira mais lenta. Porém, o modo como cada um envelhece não se limita à carga genética. Além do impacto positivo de um estilo de vida saudável, os sinais de envelhecimento podem ser amenizados por meio de tratamentos dermatológicos.

Esses procedimentos não servem apenas para minimizar os impactos do tempo, mas, também, para prevenir o envelhecimento precoce. Isso explica o fato de as pessoas jovens, cada vez mais, buscarem ajuda de dermatologistas.

Quer saber se já é hora de recorrer a algum procedimento? Então, não perca tempo e acompanhe o artigo!

Quais sinais de envelhecimento cutâneo podem ser amenizados?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), existem diferentes tipos de envelhecimento cutâneo:

  • intrínseco: determinado pela carga genética, hormônios, níveis de açúcar no sangue e estresse oxidativo (reações metabólicas que favorecem processos inflamatórios);
  • extrínseco: influenciado por fatores externos, como alimentação, sono e atividades físicas. Pesa, ainda, o estresse físico e fisiológico (movimentos musculares repetitivos, radiação solar ultravioleta, poluição, consumo de tabaco, álcool etc).

A boa notícia é que, graças aos tratamentos dermatológicos, é possível amenizar manchas, flacidez, linhas finas, rugas e outros sinais de envelhecimento.

Como cuidar da pele para retardar o envelhecimento?

Lavar o rosto de manhã e à noite, com água fria e um sabonete adequado ao seu tipo de pele, ajuda a manter a jovialidade. Essa medida simples retira partículas de poluição e resíduos de maquiagem, desobstruindo os poros.

Outro cuidado que ajuda a prevenir os sinais do envelhecimento é a hidratação. Todavia, mais do que o uso de loções, a hidratação deve ser feita de dentro para fora. Por isso, beba, ao menos, dois litros de água filtrada por dia. E coma alimentos ricos em fibras, como frutas e verduras.

Por fim, evite esfoliar a pele com frequência, tomar banhos muito quentes e se expor ao sol entre 10h e 16h. E sempre use filtro solar com proteção UVA e UVB e FPS 30, no mínimo.

Como o estilo de vida afeta a pele?

Segundo a SBD, as funções fisiológicas da pele podem reduzir em, até, 50% na meia-idade (período entre a fase adulta e a terceira idade).

Por isso, levar uma vida saudável é importante para não acelerar o envelhecimento, nem mesmo o desenvolvimento de doenças associadas. Deve-se:

Ao mesmo tempo, é necessário evitar alguns hábitos nocivos — os quais aceleram o relógio biológico. São exemplos:

  • tabagismo;
  • consumo de álcool;
  • estresse rotineiro;
  • excesso de poluição;
  • exposição à luz solar sem fotoproteção.

Quando é preciso recorrer a tratamentos dermatológicos?

Os tratamentos dermatológicos clínicos são indicados para a manutenção ou restauração da pele, unhas e cabelos, mesmo em pacientes jovens. Tudo depende da predisposição individual.

Na prática, não é preciso esperar um problema (como manchas, flacidez, estrias, celulite, dentre outros) surgir para recorrer aos especialistas. O ideal é procurar ajuda antes que apareçam.

Quais são os procedimentos dermatológicos mais procurados?

Os tratamentos mais requisitados são os que apresentam resultados satisfatórios, em pouco tempo e com baixo risco. As técnicas incluem:

  • aplicação de botox e preenchimentos à base de ácido hialurônico, para minimizar linhas e rugas finas, bem como restaurar o volume;
  • lasers para a remoção de camadas da pele, suavizando rugas e diferenças de tonalidade decorrentes de manchas;
  • luz intensa pulsada no tratamento vasinhos, poros dilatados e manchas provocadas pela exposição excessiva ao sol;
  • peelings químicos para renovar a camada superficial da pele, minimizando manchas e linhas de expressão finas;
  • terapia fotodinâmica, para melhorar a cor e a textura da pele, por meio de um fármaco e uma luz (LED, luz vermelha, luz azul ou dye laser).

Para saber qual tratamento terá melhor eficácia em cada caso, necessita-se da avaliação de um dermatologista. Esse profissional analisa não apenas os sinais de envelhecimento e o desejo do paciente, mas considera suas condições de saúde.

A partir daí, pode prescrever o procedimento mais adequado, bem como orientar mudanças na rotina que ajudarão a prevenir outros problemas.

Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

    Inscreva-se em nossa newsletter

    Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

    Artigos relacionados:

    A alimentação pode interferir na recuperação da cirurgia?

    Entenda a influência dos hábitos alimentares...

    Cirurgia Plástica: é melhor operar no inverno?

    Veja quais são os benefícios de...

    Você sabe qual é a importância do RQE? A Academia da Pele te explica

    Entenda o que significa RQE, como...